18 de mar de 2008

psique

quantas primaveras tenho.

Quantos outonos sonolentos suportarei?

Conto nos dedos o passar

da vida.

O trem chegou

e eu não entrei.

Nenhum comentário: