21 de mar de 2008

Totalitarismo

Após o ultimo raio de Sol,

depois do penúltimo dia Santo,

o nariz do menino pisca em pranto

pela morte do Soldado impuro;

ser inferior não dói tanto

quanto as chicotadas do centurião romano,

quanto a perda do pai humano

ancoradouro e porto seguro;

um canhão é, pois,

a arma daquele que teme

e nas noites calorentas treme

com medo do dia futuro.

Agora que está provada

a superioridade da raça

entregue as ruínas à traça

e a nação a um porco imaturo.

Nenhum comentário: