23 de ago de 2008

O conto que não quer enxergar

Parei um momento diante de um quadro. As pessoas que me acompanhavam em procissão ficaram a olhar a pintura como se a tela de pano tivesse se transmutado em uma Toshiba 50”. Perguntei para alguém de passos firmes que parecia entender tal fenômeno: 
“É uma bela obra, não?” 
“Qual? Ah! Sim, umas cinco milhas no mercado negro” – respondeu ele.


Nesse pequeno conto, de valor meramente anedótico, o narrador era deficiente visual, não entendia nada de arte e estava desgarrado de um grupo de turistas pseudo-intelectuais; seu interlocutor responde à pergunta imbecil de maneira distraída e mais imbecil ainda, deixando escapar o valor dos borrões de tinta. 
Meses depois o rapaz privado da visão foi preso com cento e noventa notas seqüenciais.

16 comentários:

Wander Veroni disse...

Oi, Ricardo!

Vc escreve mto bem, cara. É a 1ª vez q venho aqui e gostei desse estilo mini-conto, muito legal! A crítica é boa...temos q parar pra dar mais atenção aos detalhes e ao q está ao nosso redor.

Aqui, quero lhe convidar para passar no meu blog, o Café com Notícias.

Abraço,

=]
__________________________
http://cafecomnoticias.blogspot.com

Fabíola Oliveira disse...

Geralmente, não dou atençao a um quadro por ele ser famoso, mas, sim, pela sua beleza. Se for deconhecido, mas for bonito; vale muito a pena.

Karla Hack disse...

Desatenção.. excelente tema para um mini conto.. totalmente despretensioso e envolvente!
Gostei muito de teu espaço aqui..
Voltarei!

;D

bjus

Saulo disse...

Nunca mais tinha vindo aqui.
tá muito massa o layout do blog

Legal o conto, eu também não dou muito valor a um quadro só por ser famoso, dou mais atenção à beleza, às cores. (falou o historiador da arte hehehe)

abraço.

Caio Rudá disse...

Só me diz se é teu ou é de Wodd'allen...

Seja lá quem for, é excelente!

Ricardo Thadeu disse...

Texto meu, Rudá.

Caio Rudá disse...

Hum...

Você vai revolucionar o mundo dos blogues agora. Ninguém vai ter mais razão para comentar merda. O texto vem mais mastigado do que alimento de bovino...

Flá Absolut disse...

Muito bom o texto, muito bom o blog. Parabénssssssssssssss

Leonardo disse...

bem interessante o texto...
Muito bom o blog

Abraços!

Andréa Cristo disse...

Fantástico. Este texto, como a obra de arte do cego, vai muito mais além do que a maioria pode ver. Cabe ao observador interpretar o texto e a moral, qual também vai muito mais além das aparências. Deliro? Bom... você também delira kkkk. Isso sim é original. Hoje em dia poucos deliram e muitos copiam.

Nota: A cor do blog é irritante, mas suponho que terá um sentido subliminal. Ativar ô sentido intelectual do leitor leigo em arte? Irritar mesmo! Frisar as palavras. Não sei, mas pode ser que não funcione com os sensíveis a cor vermelha "primária" como eu que também sou artista plástica.

Abraços e sucesso!

Ana disse...

muito inteligente, gostei muito do texto.
Realmente é assim, os pseudo-intelectuais que fazem valer o pseudo-conhecimento sobre as coisas, para se aproveitarem de situações

João Marcos disse...

Ótimo mini-conto!Adorei.
O cara se achando intelectual e tudo,e nem parou para perceber que era um deficiente visual.
Muito bom!

Elton D'Souza disse...

Putz... Uma pequena desatenção que lhe custou a liberdade.

Georgio Rios disse...

Cara estamos dentro do que se pode chamar universo "woodyaliano" com o toque bem a la Ricardo Tahdeu.Pena que ainda venham aqui para olhar a template do blog como os pseudointelectuais do conto diante da obra de arte...

Tô ostando de ver , muleque. Tá surpreendendo cada vez que venho aqui...
E passa lá no Entre Aspas, tem texto teu lá tambem.

Tatiana Camilo disse...

Parabéns..
você consegue dizer muitas coisas com poucas palavras, e isso é raro. Muita gente escreve páginas e até livros e não consegue dizer nada.

Convido a visitar meu blog:
www.espelhomagic.blogspot.com

abraço!

Karina disse...

Muito, muito bom!
Valeu a visita ao meu blog!
E quanto à minha sobrinha, a gente tentou vez ou outra, mas ela não tem medo de ninguém, rsrsrs...

bjs!
www.chamkli.blogspot.com