2 de nov de 2008

(sem título)

No infinito:
a existência
sem sexo, sem drogas, sem rock ‘n roll
sem avó, sem cachorro, sem papagaio
nenhum poema de Lupeu Lacerda

só os astros em sua dança orbital
embalados pela canção do vácuo,
que chatice!

Foto: Buzz Aldrin na lua

4 comentários:

Barbara disse...

Gente adorei !
Faiz sentido ! ;)

Ellen Regina - facetasdemim disse...

sem sexo? sem poema?
tédio!!!

Caio Rudá disse...

Como falei, lindo, lind'deus!

"só os astros em sua dança orbital
embalados pela canção do vácuo"
Isso é pura poesia... embora eu não saiba o que é poesia ;D

fabiana disse...

Caio - então somos dois.
Acho que o pior não é o vácuo, nem a falta de sexo, drogas ou afins - é ver a gente se divertindo aqui embaixo e não poder fazer nada, só dar saltitos agravitários (?) e torcer pra voltar logo.
Bom, pelo menos a vista é bonita...