25 de dez de 2008

polideusismo (monólogo)

? a combustão cósmica
prosa glacial glútea
coma coca-cólico
punheta de pau mole
(
dominó na aresta

senadequina
quina de terno e gravata
mata leão
precipitação atmosférica,
ah, a chuva!
beatles elvespresleanos, marcianos
não fazem mais, apostos, como hoje em dia

nem subterfúgios, fulgidos
raios de sol
maometanos, titãs, céu da pátria
lambada russa
em russo? não,
¡fuera
!
apreciação românica


Vênus e Adônis, Ticiano, 1554.

4 comentários:

João disse...

nao entendi direito (sou leigo rs)
mais seu blog ta legal!

Caio Rudá disse...

Mesmo não entendendo o nexo disso aí não dá pra não deixar de gostar.

Tem umas passagens fodas.

fabiana disse...

não eram os deuses astronautas?

fabiana disse...

Bem, de todos esses, acho que sou monoteísta: no meu planeta, reina o deus sol.
com filtro 50.

(e hum, acho que esse poema ficaria legal no elefante também.)