4 de dez de 2008

Hard Rock Cafe

João Paulo freqüenta um café no centro da cidade. Não vai todos os dias, só naqueles que amanhecem. Depois que os escritórios ficam vazios e o santo dia se converte num fim de tarde cansado, JP (como é conhecido por todos) vai tomar seu caputino e trocar mentiras.
Alguém uma vez disse: "JP, se alguém armar uma arapuca para você aqui te pega no ato!". E aqui estou eu, matador por encomenda, esperando pacientemente em frente ao Café do Roque.

O Grande Bar, do pintor italiano Alberto Sughi

Um comentário:

Georgio Rios disse...

E dale noir .Belo mini conto Meu caro