17 de jan de 2009

Lição de pragmática

estou aqui,
mas não estou
sinto que sou
um sujeito desinencial

Lição, do pintor Ian Malek

25 comentários:

fabiana disse...

E num momento intransitivo.
Brilhante...

Glória disse...

E aquela história do "Penso, logo existo!"? rsrs
Brincadeiras a parte, muito bom!

Camila Locatelli disse...

gostei do que escreveu, me sinto assim nas aulas de inglês...
"estou aqui, mas não estou..."

beijos

http://falandosobrealgo.blogspot.com/

Junior Soares disse...

Bem, ao que parece é simples e abrangente. Relativo.

Morango com leite condensado disse...

Acho que todos nós nos sentimos assim em algum momento de nossas vidas!!!

Bjos

Rafael Arruda disse...

Humm, acaba que isso é algo inerente do ser humano. Etapas onde sentimos um certo vazio.

Marco Antonio disse...

"com a cabeça nas nuvens e os pés no chão"

Tudo que eu leio hoje me lembra alguma música... Se você não gosta de Engenheiros - o que é normal - não se sinta ofendido... não foi de propósito.

Ellen Regina - facetasdemim disse...

bem, fiquei na dúvida se postei o comentário aqui ou no outro blog então vou repetir o texto. Se eu tiver acertado então me desculpe o engano...

Gostei da intenção de não quebrar a dialética. A verdade é q poucos se importam com a língua ou a linguagem hj em dia.

A propósito, acho q não entendi a piada do post anterior.

Saco Bolha disse...

Gostei da brincadeira com a gramática!
Sujeito desinencial seria aquele que sempre se agrega a algo, mas não existe por si só?!

Net Esportes disse...

acho que sou assim....

Silvestre Gavinha disse...

Bela lição com a bela imagem.
Também concordo com antes a poesia e depois as letras.
Só fiquei em dúvida se gostasses do poema ou não?
Marie

Ferrão PE... disse...

Ou louco, esquezofrênico...(risos) brincadeira...

Um Abraço !!!


J. C. David

http://jcdavid.blogfatal.com/

Bobagem com Mouse disse...

Confuso tudo isso...
estou ou não estou!
Gostei do texto implicito...rsrs

Flavi disse...

Eu não sei escrever assim...


Muito bom!

Georgio Rios disse...

Caro amigo tão simples assim a poesia sai e faz de nós mais gente, mais sentido e sem sentido também...Cara tem novidade no coopescrita...

Fe disse...

oi!
valeu por passar no meu blog!
adorei o teu =))

bjaooo

grupo gauche disse...

gostei muito da imagem! e do blog...

fabiana disse...

Os '8 melhores contos' tão show!!! Adorei o cogumelo nuclear do soldado. Vou imaginar essa cena por aí de vez em quando - dizem que as visualizações funcionam...
;)

Ana Lucia Nicolau disse...

linda tela, o que me veio à mente foi como é bom refletir e partilhar essa reflexão.

Ricardo Thadeu disse...

E que tal ler o poema, Ana? Tão pequenino...
Aposto que nele há uma reflexão muito mais profunda do que a que você fez olhando apenas o quadro.

Mas valeu o esforço.

fabiana disse...

Já que você falou, me pergunto o que você pensava quando escreveu esse poema.
- Como às vezes "estamos", só por obrigação, mas com a vontade e o pensamento longe? Como nos adequamos aos outros, pela necessidade, talvez? Ou porque temos de nos conformar com várias regras?
Mas 'EU' não deixo de ser 'EU' mesma/sujeito por causa das desinências que a mim se agregam, concorda?
Bom pra pensar.
Bjs

Ricardo Thadeu disse...

Meu eu-lírico se nega a dar tal informação, fabiana. (risos)

O leitor é um co-autor. A sua visão do poema é O POEMA + A SUA VISÃO.


Até.

Caio Rudá disse...

Dica: nunca deixe fotos em seus posts. Muita gente as utiliza como subterfúgios...

Sobre o poema, just brilhante!

laurinha disse...

nossa!!!
gostei
bjssss

fabiana disse...

Si, señor. Hasta la vista!