27 de fev de 2009

O pajem e a ilha

Entre minh’alma e o mundo há o rio
E a margem reversa isola
Faz-se entre o canto e o arrepio
E a rua fétida me pede esmola

Mora em mim o falso e o bem
E isso não é mais um riste faro
Isso é a poesia em seu aquém
fala em mim como um dia claro

penso no que digo mas não penso
pois para o Outro é meu alento
como santo que roga tenso

Falo e o que digo que é imenso
fecho meus olhos lento
E me caio sobre as águas: denso


Gravura de Michael Wandelmaier

6 comentários:

Marcelo A. disse...

Confesso que não me sinto muito à vontade comentando poemas. Sei lá... vai entender, né? Mas gostei muito do que li. Já pensou em musicá-los?

Abração e sucesso!!!

palavraacida disse...

Muito bom blog e estilo de escrever suas poesias ou poemas, e parabéns pelo layout também que ta bem bacana.

amorinopolino disse...

Super maneiro seu blog
Point das Promoções
http://pointdaspromocoes.blogspot.com/

Wandinha disse...

Muito bom... Tenho que dizer a verdade. Um pouco denso, mas isso não quebrou a beleza dos versos... Está bastante harmônico!

Adorei este verso:

"Isso é a poesia em seu aquém
fala em mim como um dia claro"

Ricardo Thadeu disse...

OK, Marcelo. Sem problema. Musicá-los? hum... é uma boa idéia, man.

palavra acida, vlw mesmo.

amarino, prefiro comprar mais caro.

Wandinha, fico feliz que tenha gostado. Denso? É a ultima palavra do meu poema.

Martinha disse...

adorei o blog, muito bonito e muito bem feito.
parabens