15 de mar de 2009

L.S. Maxwell - Caso 4 (segunda temporada)

Eu sou detetive particular e conheci estes dias o Excelentíssimo Diego De la Vega, presidente de Vladvostok (território estratégico no jogo War), um pequeno país (cerca de 5 cm) situado no extremo leste da Ásia. Diego estava extremamente preocupado com a constante ameaça terrorista dos países próximos: Mackenzie e Vancouver, e contratou os meus serviços para investigar o sumiço de sete pinos vermelhos que estavam no Alaska.
Na sala de estar dos De La Veja, mirei o rosto dos três suspeitos e deixei o resto por conta do meu faro detetivesco. Pedro Silva e Silva estava com um volume estranho no bolso esquerdo. Excluindo a vaga hipótese de que ele poderia ter ganhado cem mil pratas em dinheiro vivo, era ali que estavam os pinos. 
− Sr. Silva e Silva, esvazie os bolsos por favor − falei com ar de Obama no dia da posse.
Caíram sete pinos no tapete da sala.
− Mas... eu, eu nunca escondi pinos nesta calça... − tentou se justificar o jovem pilantra. Mas aí a gostosa, digo, a Sra. Silva e Silva gritou do lado de fora:
− Pedrinho, quantas vezes eu já disse para não usar a calça nova! − caso encerrado.

4 comentários:

Silvestre Gavinha disse...

Que bonitinho!

Caio Rudá disse...

Esse Maxwell broca.

Big Bosta disse...

Coloquei teu banner :)
http://bigbosta.blogspot.com/

ederdbz disse...

historinha bacana, rapida e com "final feliz"... blog interessante