19 de mai de 2009

Testemunha ocular

O diálogo a seguir aconteceu na laje do Ludwig, o ponto de encontro dos maiores músicos da favela da Boca Roxa. Fazia sol na ocasião.

“Johannes Brahms! Da caravana de onde?” 
                                                          Silvio Santos

Beethoven: – Sorte de principiante...
Mozart: – Sorte uma ova! Um golaço daquele... o cara é gênio.
Beethoven: – Hoje em dia qualquer um é gênio, porra! Basta decorar três acordes.
Mozart: – Tu não lembra quando ele jogava no Treze de Piratininga do Sul? Ele fez outro igual.
Beethoven: – Encima de Vivaldi até a minha mãe!
Mozart: – Il prete rosso foi o melhor goleiro daquela temporada, rapaz. Ele carregava o piano.
Beethoven: – Não venha não. O melhor fui a minha senhoria!
Mozart: – E o frango que tu levou de Chopin? Cocoricóóóóó! (imitando um galo de granja)
Beethoven: – Sabe de uma? Saia da minha laje, saia... Vá tocar a Sinfonia No. 31 em Ré Maior na laje da sua avó! (num tom donaflorindesco)
Mozart: – Aqui pra você, ó! (segurando a batuta obscenamente) 

(Meia hora depois uma bomba de dois real explodiu na laje. No ano posterior, a Unidos da Boca Roxa perdeu um puxador por motivo de surdez.)


Beethoven escrevendo uma partitura enquanto pousava para retrato. Levando em conta o seu olhar distante, deduz-se que o músico estava com gases. 

19 comentários:

Marcelo A. disse...

Cara, muito, muito bom mesmo! De onde tirou tudo isso? Show!!!!!!

Estêvão dos Anjos disse...

uahuahuaha

bastante criativo, gostei msm! Dificil imaginar esses dois como mortais discutindo futebol e outras besteiras mundanas. O mais interessante é a contextualizada que você dá, inserindo os dois numa realidade bem brasleira. ótimo.

┼ Røgériø Lima ┼ disse...

Putz!!! Não entendi nada da conversa, eu devo ser um lerdo mesmo... Rsrsrsrsrs... Conversa de gênios, é dificil entender... Rsrsrsrs

Inez disse...

Haja criatividade heim!Muito bom seu texto, bastante criativo e engraçado.

Magoo disse...

Que maldaaade o lance/detalhe dos gases...rsrsrs
.
http://bloggalemdoqueseve.blogspot.com
.

TAIS MOREIRA disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Nossa, coitado do Ludwig Van!!!
Muito bom o seu texto, adorei!
Beijos

Batom e poesias disse...

Estou escolhendo quais teclinhas simularão com mais autenticidade minhas gargalhadas.
Acho que kakakaka é o mais similar.
Adorei o mini conto e principalmente o "tom donaflorindesco".
Muito bom!

bjs
Rossana

Kelly Christi disse...

Mto. bacana seu texto.
ps.: vc ter comentado dos gases foi foda..rsrs

bjitos,

kelly cris.

http://www.pequenosdeleites.blogspot.com

Rayos de Luna disse...

Olá Ricardo! Obrigada pela visita ao blog... quanto ao 'eu lírico egoísta' que descrevi... o que é o eu-lírico senão a interpretação de mundo do autor? Foi disso que nasceu a minha interpretação no poema e claro, o fato de não escrever poesia descrevendo sentidos numa ótica que não sinto... Quando fazemos um texto e a ele cabe diversas interpretações, como até causou a sua, e diferentemente foi a minha na criaçãou ou de outras que fizeram, o autor partilha nas palavras a comunhão de um texto que cria mundos distintos e particulares ao seu leitor, tornando-o independente e próprio de quem o lê, com certeza aí já não me encontro num deserto branco, e busco beber a água em partilha.
Abraços.

ArthurFlash disse...

Nossa, criativo e divertido é pouco viu... rs!
Muito bom, gostei, e voltarei sempre aqui, vale a pena!

Abraços

gugaltbg disse...

Ahahahahahah
realmente ele ta com cara de prisão de ventre!

Lady T disse...

rsrsrsrrss
Muito bom o texto!!!!
Parabéns!!!!
Foi vc msm que escreveu?


http://king-of-notebook.blogspot.com

Rubens disse...

Hahahaha sem noção mesmo, que palhaçada, essa dos gases foi demais.

BLOGdoRUBINHO
www.blogdorubinho.cjb.net

Ricardo Thadeu disse...

Texto meu, Lady T.

┼ Røgériø Lima ┼ disse...

Acredito que beethoven estava tentando achar algum sentido para a sua partitura...

BirdBardo Blogger disse...

engraçado imaginei eles em um churras na laje de uma favela carioca...

Caio Rudá disse...

Obra-prima, Thadió.

Martha M. disse...

Parabéns, sua criatividade não tem limites.

Aparelho de surdez e gases, está aí um ponto que não sabíamos sobre Beethoven! xD

marcelo cajui disse...

Hilário.
sua criatividade vai além, bicho.
abs