2 de jun de 2011

*

primeiro sumiram as máquinas
depois as ruas
os prédios
as roupas
as moedas
os papéis e as bicicletas sumiram
o homem nu
andava a pé e trocava objetos
até que os objetos sumiram
e sumiram também as árvores
os cachorros e as armas
o lixo e a comida sumiram
sumiram os corpos sob a terra
e a terra também sumiu
as cores sumiram a música sumiu
o amor sumiu
o ódio sumiu
a guerra sumiu
o ar sumiu
o fogo sumiu
o sol sumiu
a sombra sumiu
e o homem nu e sem chão
flutuou no escuro
até sumir

*O título deste poema também sumiu.

Cenas de 2001: Uma Odisséia no Espaço, Stanley Kubrick, 1968

5 comentários:

Ivanita disse...

Adorei o título!
Ricardo, vc realiza muito bem o gênero satírico.

Marina Carvalho disse...

Foi tudo pra o buraco... Do cú de quem?

Ricardo Thadeu disse...

ivanita

¡gracias!


marina, marina

nos cus de judas, aquele de lobo antunes, saca?

Daniel Farias disse...

sensacional!

Daniel Farias disse...

sensacional!