21 de fev de 2012

Eu Protesto

Em minha camiseta,
Está pintado o rosto de um homem
Que não sou eu, nem meu pai, nem meu avô.
Um homem... estranho.
Na minha camiseta, um homem
E uma frase: ¡Viva La Revolución!
Em meus cabelos, em minha longa barba
E em meu tênis fuleiro, a mesma frase.
Desde a cabeça ao pó das narinas,
São mensagens,
Gritos, apelos.
E fazem de mim homem-revolta itinerante.
É duro carregar estes livros pesados
Que para nada servem
E negar a minha identidade,
Menino assustado procurando aceitação,
Menino-manifesto tentando ser diferente,
Superioridade fingida.
Meu nome novo é Che, Che Guevara
E esta insígnia vermelha
Combina com meus olhos.

Cartaz: The Trotsky, comédia do canadense Jacob Tierney

Nenhum comentário: